fbpx
OpiniãoSaúde

Precisamos lavar nossas compras?

Estudos sugerem que o material genético do vírus não é capaz de sobreviver e infectar através de superfícies.

No início da pandemia, pouco se sabia sobre o coronavírus, e orientações sobre higiene e desinfecção de superfícies foram e ainda são importantes para evitar o contágio. Conforme o tempo foi passando, estudos e pesquisas sobre a molécula de proteína, trouxeram novas evidências sobre a capacidade de transmissão do vírus através de superfícies.

O cientista e professor da UFMG Jônatas Abrahão, explica que na verdade, o que fica em superfícies, como chão, corrimãos, objetos em geral, é o material genético e não o vírus íntegro capaz de infectar. A partir disso, foi feito um estudo para saber se esse material genético, quando em contato com nossa célula, é capaz de se recuperar, tornando – se um vírus íntegro, capaz de causar a doença. Um grupo de australianos, analisou vários tipos de materiais (algodão, metal, madeira, tela de celular, plástico e etc.), inoculando gotículas contendo o coranavírus, como se alguém tivesse espirrado na superfície e colocou esses materiais em ambiente controlado no laboratório e sem luz por dias. Na última etapa, eles introduziram esses materiais em  células e conseguiram recuperar o vírus ativo e infectante após 28 dias em várias superfícies. Essa descoberta causou uma certa confusão, saiu em várias matérias de jornais e programas de televisão, inclusive da Fátima Bernardes, que o vírus era capaz de sobreviver em superfícies por mais de 28 dias, mas toda pesquisa deve ser estudada e analisado os detalhes. Esse material genético ficou em ambiente controlado, sem luz e com temperatura de 20 °C. Quanto maior a temperatura, menos chances de sobrevivência. Em superfícies acima de 40 °C por exemplo, ele dura minutos. Não quer dizer que não sobreviva ao calor. Há estudos que mostram que a luz solar consegue inativar o vírus em minutos, mesmo em locais com sombra.

No mercado, onde os produtos ficam horas e dias expostos em local iluminado, o vírus é rapidamente inativado, mesmo que alguém espirre em algum produto e sem máscara. A revista The Lancet publicou um artigo em cientifico em setembro de 2020, sugerindo que o vírus não permanece viável para infectar em superfícies, nem mesmo em UTIs.

É importante lavar frutas, verduras e mãos ao chegarmos do mercado, mas lavar pacotes de biscoitos, produtos em geral, segundo essas pesquisas, se torna inútil, se for por causa do coronavírus.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo