fbpx
Saúde

Saúde destaca importância do autocuidado pelo público masculino.

Segundo OMS, tabu quanto à atenção à saúde faz dos homens principais vítimas de doenças que podem ser prevenidas.

Os atendimentos realizados com o público masculino no Sistema Único de Saúde (SUS) cresceram nos últimos anos. Mesmo assim, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, os homens vivem menos. Para conscientizar os homens sobre a importância do autocuidado, por iniciativa da Ordem Nacional dos Escritores Brasileiros, 15 de julho foi escolhido como Dia do Homem.

De 2016 a 2020, foram realizados mais de 776 mil atendimentos a homens nas unidades de atenção primária à saúde. Em 2019, mais de 183 mil pessoas do sexo masculino foram atendidas, ante 167,5 mil em 2018.

Apesar disso, a maioria dos homens busca os serviços de saúde apenas quando sentem sintomas mais severos ou já estão doentes, muitas vezes, de forma grave. São os homens os mais acometidos por doenças que atingem o coração, diabetes, câncer, colesterol e pressão arterial mais elevada. Também prevalece a ideia de que o cuidado com a saúde é função mais apropriada às mulheres.

Ainda segundo a OMS, a cada três mortes de pessoas adultas no Brasil, duas são do sexo masculino. Para reverter esse cenário, em 2009, o Ministério da Saúde, em parceria com a Opas, lançou a Política Nacional de Saúde do Homem para facilitar, ampliar e incentivar o acesso da população masculina aos serviços de saúde.

A Coordenação de Saúde do Homem também trabalha com a estratégia Pré-natal do Pai/Parceiro. Trata-se de uma “porta de entrada” para os homens nos serviços de saúde, aproveitando sua presença nas consultas relacionadas à gestação para ofertar exames de rotina e testes rápidos, convidando-os a participarem das atividades educativas e ao exercício da paternidade consciente, buscando a integralidade no cuidado a esta população.

Dentre as ações realizadas pelo Ministério da Saúde, a pasta também publicou nota técnica com orientações às Coordenações de Saúde do Homem dos estados e municípios com o objetivo de qualificar as práticas de cuidado à saúde integral do homem na APS, considerando em especial a promoção e prevenção do câncer de pênis. Também foi lançado o Cartão de Saúde do Caminhoneiro para qualificar o cuidado continuado dessa população itinerante nas unidades da Atenção Primária à Saúde (APS).

Também é realizada anualmente a campanha do Novembro Azul. Nesse período, 21 países, incluindo o Brasil, concentram esforços para reforçar a importância da prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, além de levar informações sobre promoção aos cuidados integrais com o cuidado da saúde masculina.

Pandemia faz vacinação infantil despencar no mundo e pode gerar ‘catástrofe.

Fonte
Ministério da Saúde
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo