fbpx
LocalNotícias

Servidores municipais de Paraguaçu se mobilizam por aumento no cartão alimentação sem condicionalidades

Servidores querem manifestação do sindicato da categoria antes da votação

Prometida na campanha pelo então candidato e hoje prefeito, Antian Sasada, a proposta de aumento do cartão alimentação do PAS para 800 reais por mês, foi protocolada  na Câmara de Vereadores nesse mês. Nesta semana já ocorreu a aprovação em primeiro turno.

Ao tomarem conhecimento da proposta da prefeitura os servidores municipais imediatamente começaram a se organizar e mobilizar.

Por meio das redes sociais, eles pretendem cobrar do Prefeito Antian da promessa de campanha para aumentar, ainda em 2021, o valor do repasse.

A mobilização, segundo a justificativa dos servidores, é porque o Prefeito está “dando com uma mão e tirando com a outra”.

O aumento prometido é para R$ 800, mas estabelece uma série de condições para que o servidor receba o valor total majorado, condições essas que não existem até então.

Os descontos que hoje, se ocorrem, são na base de 1/30 avos apenas para cada falta abonada (6 por ano) e as injustificadas se cometidas pelo servidor.

O grupo de servidores está aguardando e envidando todos os esforços no contato com o sindicato da categoria – o SindServ, que até o momento não se pronunciou publicamente.

Outro grupo se organiza junto aos vereadores que estão discutindo e votando a proposta da municipalidade em dois turnos.

A preocupação dos servidores é de que o benefício esteja sendo transformado numa espécie de “bônus assiduidade” e não como benefício de auxilio alimentação dentro do Programa de Alimentação do Trabalhador – PAT do Ministério do Trabalho, como é até hoje desde a lei original criada em 2010.

Além disso, os funcionários querem que o sindicato esclareça a proposta que, a princípio, estabelece critérios que podem levar o servidor a receber ainda menos, caso não atenda as condicionalidades.

Os servidores lembram que na eleição de 2016, a candidata e vencedora do pleito, Almira Ribas Garms, prometeu que iria majorar o cartão PAS para 500 reais por mês e assim o fez sem estabelecer condições para descontos.

Normalmente caso um projeto de lei seja rejeitado pela Câmara ele só retorna para nova tramitação e votação após atender a uma série de critérios legais da edilidade municipal.

Leia também: https://folhadeparaguacu.com.br/prefeitura-envia-aumento-do-cartao-pas-para-votacao-na-camara/

 

 

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo